Translate

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Capítulo quarenta

- Chegamos!
- Vem, Fiel! Entre aqui!
- Uau! Que chuva!
- Padre Jota! Veja como estamos molhados!
- Estou vendo, Laine. E esse é o Cãozinho que você está cuidando?
- Sim, é ele! Olha o quanto ele está bonito. E onde eu vou ele vai também!
- Hoje ele vai participar da Missa?
- Eu vou sim, Padre Jota. Vou ficar quietinho. Eu prometo!
- Fiel, fique aí e comporte-se. Quando a Missa terminar vamos para casa, tá bom?
- Sim, mamãe!

Uma hora depois...

- Fiel, estou muito feliz de você ter se comportado direitinho. Vamos para casa logo porque ainda chove e já está ficando tarde.
- Sim, Laine. Vamos! Cadê a Leka e o Júnior?
- Fiel! Fiel! Fiel!
- Oi, Lekinha. Oi, Júnior. Acabei de perguntar por vocês!
- Vamos para casa logo por que eu estou com fome.
- Concordo! Eu também estou com fome, Júnior! Muita fome!

Capítulo trinta e nove

- Nossa! Que chuva forte! Será que mamãe vai sair assim mesmo?
- Ei Salsichão! Tá tudo molhado!
- Ai, que preguiça desse Júnior me chamando de Salsichão. Dá vontade de mordê-lo.
- Que cara é essa, Fiel?
- Leka, dá um jeito nesse Júnior senão eu mesmo darei!
- Meus filhos, a chuva está meio forte mas teremos que ir para não chegarmos atrasados.
- Tá bom, mamãe!

Enquanto isso, pelo caminho.

- Olhem! O Fiel está vindo também.
- Mas, Fielzinho por que você não ficou lá. Agora está todo molhado!
- Ah, Laine! Eu não quis ficar sozinho.
- Ainda bem que estamos quase chegando!
- Ufa! Tem toda razão.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Capítulo trinta e oito

Pela manhã, no dia seguinte.

- Puxa vida! Que chuva! Será que mamãe já acordou? Vou ali olhar. Está tudo tão quieto devem estar dormindo. Vou deitar de novo e esperar eles acordarem.

Algumas horas depois.

- Ei, Fiel! Acorde! Trouxe a sua comida e sua água!
- Oi, Laine. Eu acabei dormindo de novo. Vocês demoraram a vir aqui.
- Você andou na chuva? Está um pouco molhado.
- Não, mamãe. É aquela goteira ali.
- Rsrsrsrs. Que é isso, Fiel? Está me mostrando algo?
- Estou sim. A goteira que me deixou molhado.
- Vou me arrumar para irmos à Missa. Coma e beba direitinho, tá bom?
- Mãe, eu também vou à Missa? Ei! Me responda! Poxa vida! E ela já se foi de novo.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Capítulo trinta e sete

- Bom garoto! Comeu tudinho! É isso aí comer direitinho para ficar forte e melhorar cada vez mais.
- Sim, Leka! Eu quero ficar bem bonitão...rsrsrsrs.
- Agora vamos deitar e dormir pois já está meio tarde. Amanhã é feriado local e quero descansar bastante.
- O que é feriado? Por que tem isso?
- O que foi, Fiel? Que cara engraçada!
- Uai, Leka! Eu te fiz uma pergunta e estou esperando a resposta.
- Agora eu vou dormir mesmo. Boa noite, Fiel. São Francisco de Assis, o proteja!
- Ah não, Leka! Você não vai me responder de novo? Fazer o que né? Boa noite! Bons sonhos!

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Capítulo trinta e seis

BASH!
- Ai, Fiel! Não precisa me derrubar. Era só um carinho...
- Desculpa, Lekinha! É porque eu gosto muito de carinho e não controlei meus movimentos.
- Eu acho que você está com sede. Está meio cansado com a língua para fora.
- Estou sim. Mas, eu prefiro carinho. Continue fazendo porque está muito bom.
- Vou ali buscar uma vasilha com água e já volto.
- Leka! Volta aqui! Eu disse que eu queria mais carinho e não água.

Alguns minutos depois.

- Estou aqui novamente! Fiel, eu trouxe água e mãe arrumou comida para você também.
- Ah... Fazer o que né? Eu queria era mais carinho.
- O que foi Fiel? Parece que ficou triste.
- Não, não! Não é isso Leka! Deixa para lá. Vou comer tudinho, tá bom?Depois você brinca comigo?
- Isso mesmo! Bom garoto! Coma tudo para ficar bem forte. Enquanto você come vou coçar suas orelhas.
- Hum... Comida gostosa, água gostosa e carinho gostoso. Sou um cão de muita sorte!

Capítulo trinta e cinco

- Lekaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
- Que barulho é esse, mãe?
- Ah filha! É que eu pus nome no Cãozinho e desde a hora que eu o pronunciei ele está numa felicidade!
- É mesmo? E qual foi o nome que a senhora pos?
- Fiel! Porque hoje onde eu ia ele ia atrás. Fui entregar comunhão para os doentes e ele estava lá do lado de fora das casas me esperando.
- Que gracinha! Quer dizer que você se chama Fiel agora?
- Sim, Leka! Até que enfim ganhei um nome! Eu gostei muito!Você gostou?
- Júnior, Pai, venham aqui, o Cãozinho ganhou um nome! Ele se chama Fiel agora.
- Olha só! O Salsichão ganhou um nome! Fiel? Eu preferia Salsichão mesmo.
- Ai que raiva desse Júnior. 
- Liga não, Fiel. Deixa o Júnior te implicar. Venha cá para eu te fazer carinho.
- Carinho? Oba!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Capítulo trinta e quatro

- É mesmo mamãe? Eu ganhei um nome? Fiel! Oba! Eu me chamo Fiel!
- Fiel, meu anjo peludo. Meu filho de quatro patas.
- Laine, vamos para casa rápido. Vamos contar para a Leka, o Júnior e o Dimitri.
- Meu Deus! Quanta empolgação! Fique quieto, Fiel!
- Estou muito contente, Laine!
- Ainda bem que já estamos chegando em casa. Não estou aguentando essa agitação.
- Poxa vida, mamãe. Não imaginava que a senhora fosse ficar irritada. Me desculpe! É que eu fiquei muito, mais muito feliz!

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Capítulo trinta e três

- Não, não e não! Não me desobedeça, Cãozinho!
- Nossa, Laine... Está sendo tão ruim comigo...
- E nem pensa em ficar tristonho para eu mudar de ideia. Vou ali dentro e já volto.
- Tá bom... Você venceu...

Logo após...

- Cãozinho, vou sair agora. Fique aí quietinho, tá bom?
- Poxa vida... Queria tanto ir...
- Acho que exagerei. Deveria ter deixado o Cãozinho vir comigo... Ah deixa para lá agora eu não vou voltar.
- Quer saber? Vou desobedecer a Laine. Vou lá lhe fazer companhia. Laine, Laine, Laine! Me espere!
- Eita, Cãozinho! Você não tem jeito mesmo, hein?
- Ah, mãe! Eu não queria que fosse sozinha!
- Agora que veio se comporte!
- Por que a senhora está de roupa branca? E essa bolsinha que carrega no peito com tanto cuidado? O que tem aí dentro?
- Cãozinho, fique aí fora quietinho. Vou ali naquela casa levar comunhão para o senhor que está doente.
- Tudo bem, Laine! Mas, o que é comunhão?

Meia hora depois...

- Nossa, mamãe! Demorou um pouco, né? A senhora não me respondeu: O que é comunhão?
- O que foi, Cãozinho?
- Não me entende, Laine? Eu te fiz uma pergunta.
- Sabe de uma coisa, Cãozinho? Pelo seu comportamento de hoje tive uma ideia! Você ganhou um nome! A partir de hoje você se chama Fiel.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Capítulo trinta e dois

No sábado de manhã...

- Bom dia, Cãozinho! Trouxe seu café da manhã!
- Oi mamãe! Hoje o dia está tão bonito o que você vai fazer?
- Eu vou lá dentro e já volto!
- Ei, Laine! Me responda!
- Trouxe sua água... Deve estar com sede!
- Sim, tenho sede mas também queria saber aonde vai hoje!
- Termine de comer e tomar água pois vou sair.
- Obaaa! Eu quero ir! Me leva? Por favor!
- Ei, eei! Que agitação é essa? Você vai ficar aqui, viu? Nada de me seguir para o carro te atropelar!
- Eu ando no passeio. Não tem perigo.
- Você entendeu que é para ficar quietinho aqui, não é, Cãozinho?
- Ah não, Laine! Deixa eu ir... Deixa vai?

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Capítulo trinta e um

Uma hora depois...

- Oi, Cãozinho! Trouxe sua comidinha!
- Que delícia! Vou comer tudinho!
- Nossa! Que fome é essa? Até parece que faz tempo que não se alimenta!
- É que está muito apetitoso, Leka! Muito obrigado!
- Que gracinha do meu cachorrinho!
- Ah, pára! Estou ficando com vergonha!
- Cãozinho, agora eu vou entrar e vou dormir! Você dorme também, tá bom? Até amanhã!
- Boa noite, Lekinha!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Capítulo trinta

- Eu estou com vontade de me coçar, Leka!
- O que foi, hein, Cãozinho? Por que quer enrolar nas minhas pernas?
- Eu queria que você me coçasse, Leka! Esse Bolfo que o Dimitri me passou faz cócegas!
- Eu vou acariciar sua cabecinha para você ficar calminho tá bom?
- Tá bom, Lekinha! Eu quero brincar também! Vamos?
- Ai, Cãozinho! Você é muito engraçado. Pulando igual a um maluco. Rsrsrsrs...
- Venha! Vamos brincar!
- Lekaaaa!
- Sim, mamãe!
- Venha jantar! Depois dê comida para o Cãozinho!
- Tá bom! Já estou indo! Eu vou ali e já volto, tá bom?
- Ah não... Justo agora que eu queria brincar?

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Capítulo vinte e nove

- Leka, venha aqui segurar o Cãozinho para mim...
- Tá bom, pai. Já estou indo!
- Não, Leka! Não faça isso comigo! Gosto tanto de você! Esse tal de Bolfo está com jeito de doer à beça!
- Filha, segura ele bem forte para ele não sair correndo. Ele deve estar com medo... Está tremendo!
- Mas é claro que eu estou com medo. Você vai me aplicar uma coisa que eu nem sei o que é e quer que eu fique como?
Shhhhh...
- Prontinho, Cãozinho! Leka, já pode soltá-lo!
- Uai! Já acabou, Dimitri? Hahaha... Nem foi tão ruim assim!
- Olha, pai! Parece que o Cãozinho está rindo.

- É mesmo, filha! Deve estar aliviado pois estava com muito medo!


quarta-feira, 8 de junho de 2016

Capítulo vinte e oito

- Laine! Você ainda não me respondeu: Quem é esse Dimitri?
- Papai, o senhor já chegou! Olha o Cãozinho que a mamãe está cuidando!
- Nossa, filha! Ele ainda está bem magrinho mas, parece que está mais forte. Está se locomovendo direitinho.
- É Dimitri. Mas, às vezes, quando vai correr ele ainda cai.
- Ah... Isso é verdade! De vez em quando eu caio ao correr. Mas, já estou quase bom. Antes eu nem conseguia ficar em pé.
- Vocês já deram banho nele?
- Ainda não, pai.
- Vou aplicar Bolfo nele para ele ficar livre de pulgas e depois damos um banho nele.
- Eu te ajudo, pai!
- Não, Leka! O que é isso Bolfo? Será que dói? Vocês vão me dar banho? A água está fria? Ai, ai ai! Laine, socorro! Me ajude!

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Capítulo vinte e sete

- "Eu vou. Eu vou. Pra casa agora eu vou. Parará tibum Parará tibum".
- Mãe, olha como o Cãozinho está! Parece que ele está dançando! Hahahaha!
- Parece mesmo, Leka!
- Hahahaha! Estou cantando e dançando! Vocês gostaram?
- Aneim... Que gracinha!
- Crianças, já estamos chegando!
- Ainda bem pois já estava um pouco cansado! Meus Deus! Laine! Leka! Não entrem em casa! Tem um homem lá dentro!
- Pára Cãozinho! Pára de pular! O que você quer?
- Vocês estão cegas? Tem um homem lá dentro!
- Olha, mãe! O pai chegou!
- Ah... É mesmo! Agora eu entendi o porquê da agitação do Cãozinho! Ele não conhecia o Dimitri e ficou tentando me avisar pensando ser uma pessoa estranha em casa.
- E quem é esse Dimitri? Por que ele está dentro da sua casa, Laine?

quinta-feira, 17 de março de 2016

Capítulo vinte e seis

- Ei, Leka! Explica para a mãe sobre a borboleta colorida que eu quase peguei!
- Mãe, o Cãozinho aproximou-se de uma borboleta e ficou pulando pensando que iria capturá-la!
- Que gracinha! Você estava brincando com a borboleta, meu anjo peludo?
- Sim, mamãe! A senhora tinha que ver o salto que eu dei... e ela voou para muito longe!
- Eu vou trancar aqui e vamos para casa. Fiquem ai e aguardem!
- Tá bom, mamãe! Vamos te esperar!
- Cãozinho, você precisa de um nome urgente! Será de qual nome você gosta?
- Bom, Leka! Eu não sei... Escolha um bem legal para mim!
- Estou pronta! Vamos, crianças?
- Sim! Vamos logo, mamãe! Já está escurecendo!

segunda-feira, 7 de março de 2016

Capítulo vinte e cinco

- Vamos, Cãozinho?
- Sim, Leka! Vamos!
- A mãe deve estar no escritório. Vamos para lá!
- É longe? Onde é?
- Chegamos!
- Uai, é aqui, Leka? Eu costumo brincar ali!
- Oi mamãe!
- Laine! Quer dizer, mamãe!
- Cãozinho, está passeando com a Leka?
- Sim, mamãe! A senhora acredita que eu quase capturei uma borboleta colorida? Eu dei um salto assim, deste tamanhão e quase peguei-a!
- Que é isso? Que salto foi esse? O que está querendo me dizer?
- Eu disse que quase capturei uma borboleta colorida mas vocês quase nunca me entendem...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Capítulo vinte e quatro

- Ei Leka, você viu? Eu quase peguei a borboleta!
- Venha, Cãozinho! A borboleta já voou para bem longe... 
- Vou contar para a mamãe que eu quase capturei uma linda borboleta colorida!
- Pare de agitação! Daqui a pouco você me derruba!
- Não, Leka! Não quero te derrubar... É que eu estou muito feliz!
- Cãozinho, já chegamos! Fique quietinho, tá bom?
- Sim, Leka! Mas por que você está ajoelhada?
- Shhhhh! Silêncio!
- Tá bom! Já entendi!
Aqui é tão bonito... É tão cheio de paz... Eu gosto daquele armário brilhante que fica bem ao centro daquela mesa... O que será que guardam lá dentro? Vou ficar igual a Leka... ajoelhado!
Ops!... Mas eu não consigo! Já sei! Vou deitar e ficar aqui contemplando...


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Capítulo vinte e três

- Cãozinho, vamos atravessar!
- Ei, Leka! Você não vai comprar a coleira e a guia para andar comigo? Eu acho que naquela loja ali vende!
- Nossa! Como você está agitado! É o calor ou está querendo me mostrar algo?
- É Leka! Eu estou te mostrando a loja! Vai lá comprar o que eu te disse! Eu sei que você tem dinheiro aí na sua bolsa!
- Ai meu Deus! Já estou ficando preocupada! Para que tanta agitação? Você deveria falar, Cãozinho!
- Mas eu já estou falando! Será que não entende?
- Já estou perdendo a paciência!
- Tá bom, Leka! Esqueça o que eu disse...
- Vou aproveitar e passar na Igreja para adorar ao Santíssimo e ver a mamãe!
- Eu irei também mas antes vou ali ver aquela borboleta colorida. Venha ver, Leka! Olha que bonita! Vou tentar pegá-la! Ops!... Rsrsrsrs... Ela voou!
- Hahahaha! Você me mata de rir, Cãozinho! Além de engraçado é um fofo... Imagina só querendo brincar com uma borboleta...

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Capítulo vinte e dois

- Leka, olhe para mim... Você está zangada?
- Cãozinho, dá vontade de te bater! Olha só! Conseguiu desfiar e arrebentar a alça da minha blusa. Eu não voltar em casa para trocá-la. Vou amarrar e vou sair assim mesmo!
- Me desculpe, menina baixinha que eu gosto tanto! Prometo que não vou pular mais em você!
- Agora vou trancar o portão e sair logo. Tenho muitas coisas para fazer!
- Aonde você vai, Leka? Eu vou também!
- Era só o que me faltava... o Cãozinho me seguindo! Volte agora para casa!
- Não, por favor. Eu vou me comportar!
- Já que não me entende e não me obedece, venha!
- Viva! Aonde vamos? Já chegamos? É aqui?
- Boa tarde! O que você precisa? - perguntou uma moça sorridente.
- Preciso de um caderno de 98 folhas, uma caneta preta e uma caneta azul. - respondeu Leka.
- Aqui está! Moça, aquele cachorrinho ali fora é seu?- indagou novamente a moça sorridente.
- Não, não é meu! Ele veio me seguindo... nunca o vi!- disse Leka.
- Pensei que fosse seu! Desde que entrou ele ficou ali fora esperando... Obrigada, volte sempre!
- Ei, Leka! Que história é essa? Falar que não me conhece e que não é minha dona?
- Cãozinho, cãozinho! Você não deveria ter vindo atrás de mim. A moça da loja me perguntou se eu era sua dona e tive mentir. Não é legal você andar solto por aí sendo que cuidamos de você. Quando eu falar para você ficar lá na porta de casa, obedeça!
- Ah, mas... Não seria melhor você comprar uma coleira e uma guia para mim?Não é uma boa ideia?

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Capítulo vinte e um

- Ei, Salsichão!
- Júnior!Agora todos desta casa chegaram... E essa mochila aí?
- Já comeu, Salsichão? Eu vou lá dentro almoçar pois estou com muita fome!
É... hoje o pessoal tirou o dia para me esnobar... Eu pergunto à Laine ela não me responde, eu pergunto à Leka ela não entende, eu pergunto ao Júnior acontece a mesma coisa.
A solução é ficar aqui quietinho esperando pela comida.
- Cãozinho, aqui está sua refeição!
- Obrigada, Laine! Vou comer tudinho!
- Vou lá dentro pegar a minha bolsa porque já está na hora de eu voltar a trabalhar.
Hummm... Que comidinha gostosa! Agora vou deitar ali na sombra.
- Cãozinho, eu já vou descer. Você vem comigo?
- Ah! Agora não vou ficar aqui deitado.
- Tchau! Comporte-se!
Vou tirar um cochilo aqui...

Alguns minutos depois...

- Leka! Aonde você vai? Tá bonita! Que blusa bonita! Deixa eu ver de pertinho!
- Não, Cãozinho, pára de me pular! Vai me machucar! Você é pesado!
- Lekaaa! Me leve junto! Por favor!
- Pára de me pular! Olha o que você fez? Desfiou a minha blusa.
- Foi sem querer! Eu juro!
- Olha, só! Vai me atrasar! O que eu faço agora?
- Puxa, Leka! Me desculpe! Não fique zangada comigo... Gosto tanto de você!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Capítulo vinte

- Cãozinho, já está na hora do almoço! Vamos para casa?
- Sim, Laine! Vamos!
Que bom! Será que eu vou ver a Leka? Estou com uma saudade daquela baixinha...
Puxa! Hoje está um dia muito quente. Mal começamos a andar e já estou cansado...
- Cãozinho, venha com cuidado para o carro não te atropelar!
- Tá bom, mamãe. Agora eu vou ficar bem atento!
Graças a Deus já estamos chegando!
- Cãozinho, parece que hoje você se cansou mais.
- É verdade, Laine! Minhas perninhas estão moles e estou com muita sede.
- Já chegamos! Você espere aí. Vou almoçar e daqui a pouco trago sua comida.
- Vou deitar aqui e esperar. 
Olha só quem chegou! A Leka!
- Oi Cãozinho! Como você está? Está esperando sua refeição?
- Sim, sim. Leka, eu estava com muita saudade de você... Onde estava? E esse tanto de livros?
- Cãozinho, fique aí, quietinho, bonitinho. Vou lá dentro almoçar, estou com muita fome!
- Ei, Leka! Volte aqui! E esses livros? Por que chegou agora? Poxa vida! Ela nem me deu atenção... Será que ela não me ouviu, ou será que fingiu não me ouvir?

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Capítulo dezenove

Uaaaaaah!
Que preguicinha... Que corpinho mais dolorido... Aquela trombada no carro não me fez bem!
- Cãozinho, vim trazer sua comida e sua água!
- Oi, Laine! Que bom que trouxe! Já estava com fome e sede! Cadê o Padre Jota? É assim que se chama o senhor baixinho, né?
- Fique aí quietinho, tudo bem? Tenho que terminar de limpar a igreja.
- Ei, Laine! Volte aqui! Não me respondeu... poxa vida!
Acho que vou dar uma volta pela praça, ver o que tem de bom!
Nossa, que paradeiro! Cadê todo mundo?
Argh! Vi o que não queria ver! Um felino por aqui!
Vou espantá-lo pois não é bem vindo!
- Au,au, au! Grrrrr! Saia logo daqui!
- Miau!Fshhh! Você não manda aqui!
BASH! GRRRRR! BOW! FSHHH!AUAUAU!
- Cãozinho! O que está aprontando?
- Ah, Laine! Esse gato folgado... tive que dar um jeito, ele não queria sair daqui!
- Passe para cá agora e deixe de confusão!
- Tá bom, mamãe. Não faço isso mais. Vou ficar aqui deitado no tapete até chegar a hora de voltarmos para casa.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Capítulo dezoito

- Pronto, cãozinho! Já chegamos!
- Ufa! Graças a Deus! Já não estava aguentando mais de dor!
- Deite-se e fique quieto!
- Tá bom, mamãe! Parece que ficou chateada comigo... Não tive culpa! Me distrai e aconteceu!
Olha! O senhor baixinho! Quanta felicidade! Fazia tempo que não o via...
- Padre Jota, acredita que o cãozinho foi atropelado?
- Ah, Laine! Como isso aconteceu?
- Eu atravessei a rua. Ele foi atravessar também e se distraiu. O carro acabou atingindo-o.
- Meu Deus! Será que ele teve alguma fratura interna?
- Espero que não! Já tenho muito carinho por ele! Se ele partir ficarei muito triste...
- Pois é! Eu quem cuido menos iria sentir falta imagina você, Laine.
- Gente, gente! Pára tudo! Quem foi que disse que vou embora? Vou ficar por aqui por um bom tempo, se Deus quiser!

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Capítulo dezessete

- Laine, cadê a Leka? Eu não a vi hoje...
- Eita, cãozinho! Não é possível que veio atrás de mim...
- Mas é claro, Laine! Nunca vou te deixar!
- Venha com cuidado, tá bom? Agora pela manhã, todos estão indo trabalhar e é bastante movimentado!
- Tá bom, mamãe! Posso te chamar assim?
- Puxa, como está quente! Quando chegar na Igreja vou colocar uma bacia grande de água para você!
Muito legal esta avenida. Estes coqueiros são enormes. Naquela praça fica algum aumiguinho?
- Cãozinho, vamos atravessar a rua. Muita atenção porque aqui é perigoso.
- Ah, Laine! Que bobagem não vai acontecer nada!
VROOM! HONK! FOM! FOM!
CAIM! CAIM! CAIM!
- Ai, meu Deus! Cãozinho! Te atropelaram! Aneim... bem que eu disse! Tá machucado!
- Calma, Laine! Foi só uma trombada! Nem sangrou, olha!
- Coitadinho! Consegue andar?
- Sim, mas está doendo! 
- Já estamos chegando aí cuido de você direitinho!
- Ainda bem! Vou deitar no tapete e ficar lá quietinho até melhorar...

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Capítulo dezesseis

Amanheceu...
Acordei assustado pois me esqueci que havia dormido, pela primeira vez, no passeio da casa da Laine.
Eu me espreguiçei  e fiquei ouvindo o canto dos pássaros enquanto a aguardava.
- Olá, cãozinho! Venha se alimentar!
- Já vou, Laine! Cadê todo mundo? A Leka... O Júnior...
- Salsichão!
- Júnior! Aonde vai com esta mochila?
- Comporte-se viu, Salsichão?
- Ei, volte aqui! Você não me respondeu, Júnior!
- Cãozinho, beba sua água! Daqui a pouco já vou descer para o trabalho!
- Tá bom, Laine! Aonde o Júnior foi com aquela mochila nas costas? Você deixa ele sair sozinho?
- Fique aí quietinho que vou para dentro me arrumar.
- Ei, Laine! Eu te perguntei e não me respondeu...O que está acontecendo? Não me entende?
Poxa vida! Eles parecem não me ouvir. Será o por quê?
Bom, vou ficar e esperar a Laine...
- Cãozinho, já vou trabalhar! Você vai ficar aí né? Deixei seu cobertorzinho, sua comida e sua água aí.
- Não, Laine! Eu vou com você! Espere por mim!